Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias 2017 Março Medidas de Transparência são discutidas no sistema prisional
14/03/2017 - 00h00m

Medidas de Transparência são discutidas no sistema prisional

Servidores receberam equipe da Controladoria, que explicou as exigências da Lei de Acesso à Informação

Medidas de Transparência são discutidas no sistema prisional
Texto de Amanda Vieira

Como forma de disseminar informações acerca do atendimento ao cidadão nos órgãos do Executivo estadual, a equipe da Controladoria Geral do Estado (CGE) levou o projeto Caravana da Transparência para a Unidade do Sistema Prisional Alagoano nesta terça-feira (14), onde compartilhou informações sobre a Lei de Acesso à Informação (LAI).
 
 

A palestra abordou temas como o Serviço de Informação ao Cidadão (SIC), a importância do cumprimento do prazo e da qualidade da resposta. O atendimento deve ser feito em até, no máximo, 20 dias, e a resposta tem que ser clara e direta.

 

A controladora-geral do Estado, Maria Clara Bugarim, ressaltou que 100% dos órgãos já contam com o SIC disponível nas versões online e presencial e todo cidadão pode solicitar informação pública e ter seu pedido acompanhado pelo sistema.

 

Maria Clara Bugarim chamou a atenção para o desempenho do Estado, que já melhorou desde em 2015, quando ocupava a 16ª posição no ranking da transparência do Ministério Público Federal (MPF).

 

“Hoje, Alagoas ocupa a segunda posição. Foi com um trabalho de orientação e com o sentimento de coletividade que conseguimos esse resultado. Vamos, juntos, melhorar os nossos indicadores e ofertar um serviço melhor ao cidadão”, destacou Clara.

 

O secretário de Estado de Ressocialização e Inclusão Social, Marcos Sergio Freitas, disse que o encontro esclareceu dúvidas e vai agregar na rotina dos servidores.

 

“Vamos conseguir avançar a partir desse momento em que o servidor compreende a importância da transparência. A partir dessa orientação vamos criar núcleos dentro das unidades prisionais para que possamos fomentar ainda mais a divulgação das informações”, afirmou o secretário.

Ações do documento